sábado, 27 de setembro de 2014

A rosa

Google - sem informação de autoria


alice dispõe de mim
uma rosa vermelha, sonora
uns olhos de engendrar ternuras
sobre a descostura das coisas

feito pétala que se desprendesse
do zelo ardiloso de outras pétalas

e num voo furioso e lento
acordasse de vez o rio

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A manhã



a língua da serpente
ainda toca teu ouvido

conta, alice
o que dizem os deuses
sobre tudo o que não digo?

virá do céu em teus olhos
a manhã que brada por meus punhos?

é noite, ainda

agora só precisamos cantar
e vigiar o fogo