quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Armadilha

Google - sem informação de autoria

é sempre outro tempo

foi o que disse
quando o olhei nos olhos
e decretamos nula
a história do corpo

e aqui está você:
âncora e balão
herdando o mesmo peso
passo e encruzilhada
habitando as mesmas horas

mas o que pode o peso
contra seu corpo-pássaro?
o que podem as horas?

repare no tempo, Alice,
repare na armadilha:

ele passa
e sequer existe.

Um comentário:

  1. Para dois pesos, duas medidas?
    Mas... para voar, não precisamos saber ser do chão?
    Duas forças que se atraem, o segredo desse nosso destinar-se?
    Para viver não vivendo, duro isso até.
    Uma obra misteriosa é a estrada com dois caminhos de Robert Frost.
    A nossa também.

    ResponderExcluir