segunda-feira, 28 de julho de 2014

Nômade


Google - sem informação de autoria


"... ao sudoeste do teu sonho uma dúzia de anjos de pijama urinam com
transporte e em silêncio nos telefones nas portas nos capachos
das Catedrais sem Deus."

Roberto Piva


veja você: 
nômade, desarticulada,
ossos carcomidos pelo frio,
o passo impossível 
entre o trem e a plataforma.

não há teto que ampare
tanta desmesura, alice.

seus deuses, mais que os meus,
não cantam nas catedrais.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Candeeiros

Fotografia: Daniela Delias



são luas os olhos de Alice,
dois candeeiros, janela e rio
beirando outros rasos d’água.

viver é atravessar.

domingo, 6 de julho de 2014

Correspondências

Garota no Espelho (Pablo Picasso, 1932)


seus olhos tão escuros
quase bastam à noite

mas não vem de você o sopro
que me devolveria às asas
nas horas mais delicadas

era essa, Alice,
a sua ideia de amor?

quarta-feira, 2 de julho de 2014

A senhora espera ao lado

Imagem: Daniela Delias


Essa é você, Alice, esperando o voo. Seus olhos engolem as setas, as placas, o luminoso. 1210, dozedez, do-ze-dez. Não erre o portão, não perca a hora, não esqueça. O céu está limpo, suas mãos também. Los ãnos pisan, diz a estranha. Que dices, señora? Los ãnos, ellos pisan. Você não ouve, não entende. São tantos pés indo e vindo e sumindo. E essa é você, Alice, desesperando pousos. Seus olhos guardam as malas, a estranha, o luminoso. 1210, dozedez, do-ze-dez, não se perca. Pisam ou pesam, senhora? Pisan, niña. Com pés cansados como os seus.