sexta-feira, 30 de maio de 2014

Ágata

Google - sem informação de autoria


com dedos ligeiros, os teus
digo a ele: amanhã, amor

a água da noite ainda pesa
o azul do copo de ágata
mas meus olhos, Alice
estão abertos sobre o mar

não era o que dizias?



sábado, 24 de maio de 2014

Alento

Google - sem informação de autoria

tenha o gosto da casca
do óleo quando amarelo
do fruto vermelho-brilhante

o tempo da flor
conte às avessas:
dê boa tarde se for dia
ou à senhora dê bom dia
porque desandasse a tarde

banhe-se das folhas
livre-se das febres
tome-a inteira

(às feridas, Alice
dê chá de aroeira)

domingo, 18 de maio de 2014

Partilha

Google - sem informação de autoria


vi o que fez dos ponteiros
e da rosa entre seus dedos
quando ele disse
gosto de ser seu amor

você e essa noite despedaçada
você e essas mãos de Alice
pálidas, suaves, díspares

presa à partilha dos dias
separando pétalas de horas

pondo tudo em caixinhas




terça-feira, 13 de maio de 2014

Primavera em Wuppertal

Pina Bausch - imagem sem indicação de autoria

el olor del jazmín y la madreselva,
el silencio del pájaro dormido,
el arco del zaguán, la humedad
— esas cosas, acaso, son el poema.

Jorge Luis Borges


claro que dançaremos, Alice
como se de dentro dos olhos do poeta cego
contemplássemos o Rio da Prata

como se eu e você
pisando as cidades dentro da cidade
mitigássemos a dor e a fúria
de toda delicadeza sitiada

é claro que dançaremos, Alice
com pés de Pina Bausch em Wuppertal
mas não diremos palavra

(não diremos, Alice,

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Os pés

Arquivo pessoal de Daniela Delias

ouve bem, alice,

não deste topo de mundo,
onde só a palavra amor,

mas anda, alice,
ouve, desce, anda,

percurso que é você.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Runas

Google - sem informação de autoria


por favor, Alice, traga
a chave o trinco a tranca

estou aqui, entre fotos e runas
devorando o leite das pedras
- aqui, onde ninguém mais.

você, Alice,
esta letra plena 
e suave.

(o amor, outra coisa.)



quarta-feira, 7 de maio de 2014

Prece

Google - sem informação de autoria



naquela noite, alice
dissemos tanto:
eu falava sobre os desertos
do gelo sobre as tulipas

livre-nos de suas mãos, você disse
dos sorrisos velados e ocos
de suas matrioskas tristes

depois, mordeu meus lábios
como se existíssemos


terça-feira, 6 de maio de 2014

O canto


Imagem retirada do site: http://coamajlle.blogspot.com.br/


o que virá, alice,
da palavra não dita?

não esta fúria suave
de espora cravada
em meu flanco

não este canto quieto
de saí-azul atravessado
em minha garganta

só você, alice,
esse leito de rio
fincado de pedras
esse pássaro rouco
deixado à minha porta

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Excessos

Google - sem informação de autoria



não há um lugar
para os seus exércitos

não é a chuva, Alice
as flores nesta casa
excedem há mais tempo
que eu, a tormenta e você

é preciso que eu repita:
há coisas que só crescem
do lado de dentro


domingo, 4 de maio de 2014

A pálpebra

 Imagem retirada do site http://www.portalcursos.com/


alice, meu bem:
eu não sou você

eu imagino o peso
você lambe o gozo

e tudo o que não dizemos
depõe sobre a pálpebra
durante a queda.